Do Livro " Ao Longo do Rio Azul"

Na areia enterrado jaz

Na areia enterrado jaz
meu coração infeliz.
O rio como Ela faz,
o rio tambem não quiz.

Mas essa palavra dada
por Ela em certo momento
pelo vento foi levada...
Só não foi o esquecimento.

Quem me dera tambem ir-me,
lá apanhado de chofre,
com o coração que sofre
pode ser ao amor tão firme.

Ir-me aí pela corrente,
rio abaixo até à foz,
sem ter tempo, de repente,
de inda me lembrar de vós.

Etiquetas: , , , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial